domingo, 24 de maio de 2009

28º alvorecer

Saí com os amigos por essas noites, coisa que não fazia faz tempo. Ví que o frio do meio do ano está chegando. Fora os que dormem na rua, os que moram perto do rio são os que mais sentem (se prepara Laísa! iiiu!).



São as vértebras do poeta
alicerces da poesia -
versos vívidos...
lençol sobre o corpo
num frio da pêga
que dá quando junho chega

Um comentário:

Colombina disse...

Mermãããoo!!! O frio aqui em casa tah atravessando misteriosamente p edredon!!!
huahauhauauahuahuhaua
Mas eu tô me amarrando nisso.
Frio me deixa na vibe!

auahuahaua